domingo, 31 de janeiro de 2010

Uva no pé

Delícia passar o fim de semana comendo uvas colhidas diretamente do pé.



segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Neil Young e Dave Matthews

No especial Hope For Haiti Now, que ocorreu na sexta feira, Neil Young e Dave Matthews interpretam juntos Alone and Forsaken.

domingo, 24 de janeiro de 2010

Criatividade para promover a Leica

Simples e criativa esta propaganda da Leica, para mostrar a função anti-shake da câmera.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Mais um álbum inédito de Johnny Cash

Uma ótima notícia: no fim de fevereiro chega às lojas mais um disco póstumo de Johnny Cash, falecido em 2003.

"American VI: Ain't no Grave" foi gravado em 2002, pouco antes de sua morte, sob a direção de Rick Rubin, que já vinha produzindo uma série de gravações em parceria com Cash, desde 1994.

O disco deve seguir o padrão dos anteriores, que fazem parte da Série Americam Recordings, com covers acústicos de Johnny Cash.

Pela internet é possível conhecer quais são as músicas que estão no disco, inclusive ouvir algumas delas. O que chama atenção neste último trabalho é o tom confessional e espiritual que envolve todo o álbum, desde o título até a escolha das músicas.

O Bloguilhéu destaca a versão de Cash para A Satisfied Mind, que foi gravada por Bob Dylan em 1980 no álbum Saved.

Abaixo, você pode ouvi-la e acompanhar a letra que, apesar de ter sido escrita há decadas, é bastante relevante para os nossos tempos.




Fonte: Lost Highway Records

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Mascarados & Anônimos tocam Bob Dylan

Agora é oficial. Confirmamos ontem com o Rafael a data da brincadeira: dia 05 de março, no Caffe Cult, anexo à Escola de Música Rafael Bastos.

Daqui alguns dias vamos começar a divulgar.


sábado, 16 de janeiro de 2010

Festival do Macarrão

Meu filho está aprendendo a comer sozinho usando o garfo. O teste de ontem à noite foi com uma deliciosa macarronada.






segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Cartier-Bresson fotografa Matisse

Pierre Assouline relata a história por trás da famosa foto de Henri Matisse feita por Cartier-Bresson.



"Matisse não gosta de ser fotografado. A idéia de posar o arrepia. A indiscreta curiosidade dos fotógrafos o desagrada. E, além disso, o distraem de seu trabalho. Mas este [Cartier-Bresson] tem o dom de se fazer esquecer, como um gato. Nada melhor do que passar despercebido quando queremos observar. Cartier-Bresson chega pontulamente à seu ateliê, senta num canto e fica horas sem dizer palavra, nem ao artista nem à modelo, Lydia Delectorskaya. Nada de conversas; não apenas seria indecente como estragaria tudo. Quando tira uma foto, seu gesto é tão furtivo e silencioso quanto o espirro do homem invisível. Quando esquece que é personagem, Matisse não posa mais, é ele mesmo, com um lápis na mão, uma pomba na outra, ausentando-se do resto do mundo. É esse exato instante que o fotógrafo escolhe para captar o indizível olhar trocado entre o homem e o animal."

Pierre Assouline, em "Cartier-Bresson: o olhar do século", L&PM, 2008, p. 144.

domingo, 10 de janeiro de 2010

Hard Rain

Campanha publicitária da Expo Zaragoza 2008, com o tema "A água e o desenvolvimento sustentável". Bob Dylan regravou a canção A Hard Rain's A-Gonna Fall especialmente para a campanha.

sábado, 9 de janeiro de 2010

Fritjof Capra cita Brasil como exemplo

Em um artigo endereçado ao presidente Barak Obama, o físico e teórico sistêmico Fritjof Capra cita o Brasil como um exemplo a ser seguido no que se refere ao relacionamento com as Organizações Não Governamentais e entidades civis organizadas em torno de uma ecologia sustentável.
Capra chega a sugerir a Obama que uma conversa com Lula poderia ser de grande ajuda e inspiração ao presidente americano.

I believe that discussing with President Lula how this collaboration of government, business, and civil society is organized in Brazil might be helpful and inspiring for you if you want to create similar channels of communication in Washington.

O texto completo de Capra você pode ler clicando aqui.

Martin Munkacsi



Trecho da biografia de Henri Cartier-Bresson que cita a fotografia acima:


"Tirada entre 1929 e 1930, publicada em 1931 na revista Photographies, é assinada por Martin Munkacsi, um antigo fotógrafo esportivo que se tornara repórter de longas viagens e que resumia sua filosofia em algumas frases:

Ver num milésimo de segundo aquilo com que as pessoas indiferentes convivem sem perceber, esse é o princípio da reportagem fotográfica. E, no milésimo de segundo seguinte, fazer a foto daquilo que se viu; esse é o lado prático da reportagem.

A foto mostra três adolescentes - negros e nus, vistos de costas, correndo para as ondas do Lago Tanganica. Ela tem tudo para abalar Cartier-Bresson porque representa tudo que o atrai: a África, que continua a assombrar suas noites; a água do mar, que os surrealistas transformaram em água abissal capaz de ramificar secretamente o inconsciente; o senso de composição como o jogo das silhuetas, a massa de areia e as linhas formadas pela espuma; o movimento, a juventude, a energia, a velocidade. E também a vida, nada mais que a vida. Ao longo da toda a própria vida, Cartier-Bresson não terá palavras suficientes para pagar sua dívida para com essa imagem:

De repente entendi que a fotografia podia fixar a eternidade no instante. Essa foi a única foto que me influenciou. Nessa imagem há uma intensidade, uma espontaneidade, uma alegria de viver, uma maravilha tão grande que me deslumbra até hoje. A perfeição da forma, a percepção da vida, uma vibração sem igual... Pensei: bom Deus, podemos fazer isso com uma máquina... Senti como que um pontapé na bunda: vamos, vai!

Assim, sem querer, um fotógrafo foi guia de outro fotógrafo. Uma obra comprometeu uma vida."

Pierre Assouline, em "Cartier-Bresson: o olhar do século", L&PM, 2008, pp 68-69.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Biografia de Cartier-Bresson

Comecei a ler hoje a biografia de Henri Cartier-Bresson, um dos fotógrafos mais brilhantes de nossa história. Dei uma paradinha na leitura para vir até aqui e colocar um pequeno trecho do primeiro capítulo. É só clicar em cada imagem que o texto abrirá em nova janela.



quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Mascarados & Anônimos

Uma reunião que estava há muito tempo para acontecer aconteceu. Três amigos de longa data finalmente se reuniram para preparar um tributo - ou quase isso - ao mestre Bob Dylan, que está sendo programado para o início deste ano no Caffe Cult, anexo à Escola de Música Rafael Bastos.

O trio Mascarados & Anônimos tem na sua formação o batera Guilherme Zimmer, das bandas Cassim & Barbária e Os Ambervisions, o baixista Henrique Silvério, da banda DOIS, e nos vocais, violão e harmônica, João David, integrante de banda nenhuma (e editor deste blog, para quem ainda não sabia).

Mascarados & Anônimos é uma grande brincadeira que está quase sendo levada a sério pelo trio. Ou, talvez, algo muito sério que está sendo levado como uma grande brincadeira. Ou as duas coisas. Ou nenhuma delas.

As fotos abaixo são do primeiro ensaio ao vivo da banda, realizado nesta segunda feira dia 04.

















Os créditos das fotos deste post vão para o casal Alexandre e Cíntia Mendonça.

domingo, 3 de janeiro de 2010

Sr. Bóris, isto é uma vergonha!

Após uma reportagem em que dois garis desejavam Feliz Natal, Bóris Casoy não percebeu que o áudio estava aberto e soltou uma pérola do preconceito de classes.

Coisas do jornaismo brasileiro. Ou, como diria Boris Casoy, "isto é uma vergonha!".

Quem não tem Copacabana, vira com Beira Mar

Papo que ouvimos enquanto caminhávamos pela Beira Mar por volta das 22h na noite do Reveillon:

- Pai, isto aqui é Copacabana?
- Não, filho, mas é como se fosse...

Movimento de Reveillon